+55 (21) 3017-9090

Rua Maricá, 320 - Rio de Janeiro

Top

A Perfeita Vontade de Deus.

A Perfeita Vontade de Deus.

 Romanos 12:2 “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Meu amado irmão, minha família, filhinhos na fé, eleito para viver a vida eterna.

Não existe maior fraqueza no cristianismo do que aceitar os padrões do mundo. Não existe maior fragilidade na vida de um cristão do que aderir, aceitar, pensar ou agir de acordo com o modelo fracassado do mundo.

Nós já estivemos no mundo e sabemos que ele não nos deu nada de bom. A Bíblia diz que o mundo jaz do maligno, e quando o Senhor nos comprou deste mundo, deste mercado de escravos e nos trouxe para a Sua Igreja, Ele nos chamou para vivermos uma vida poderosa. Ele nos chamou, porque já nos libertara do império das trevas com a Sua obra na cruz do Calvário. Ele disse que saímos da morte para a vida. Fomos chamados para viver vitoriosamente. Por isso que Pedro, quando escreve a sua epístola, diz, em 1 Pedro 5:8: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo”.

O inimigo anda ao derredor tentando encontrar brechas, fraquezas, áreas frágeis na vida do cristão. É preciso sobriedade e vigilância, ou seja, deve haver equilíbrio constante.

A única forma de sairmos das fraquezas é não aderindo ao modelo do mundo, é resistindo firme na fé, é agindo de acordo com a Bíblia. Lê 2 Coríntios 2:11.

Agora, deixe-me dizer algo muito importante: Nós não podemos permitir áreas de fraqueza na nossa vida. Não podemos permitir que alguma área da nossa vida sofra transformações, porque é nessas áreas de fraqueza que Satanás instala as suas fortalezas. Precisamos aprender a identificar quais são as áreas de fraqueza e quais são os pensamentos, as idéias, as áreas vulneráveis.

Muitos cristãos dão a seguinte desculpa: “A carne é fraca!” É muito triste ver uma pessoa anos a fio na obra de Deus e ainda assim errando e dizendo que a carne é fraca. Amado, é verdade que a carne é fraca, mas quando o espírito está forte, quando o espírito está pronto, a carne se submete. Não podemos mais aceitar, na vida de um cristão, fraquezas da carne ou áreas vulneráveis, pois é aí que o inimigo age. A fraqueza dá ao diabo um lugar seguro que influenciará a vida toda do cristão. Lê Efésios 4:27.

Paulo, escrevendo aos Coríntios, diz, em 2 Coríntios 10:3: “Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne.” Não alimentamos a nossa carne. Não a deixamos solta. Por quê? 2 Coríntios 10:4 “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas”.

Satanás, na realidade, se alimenta da vulnerabilidade do cristão, especialmente daqueles que estão sempre dando desculpas de que a carne é fraca. Não podemos aceitar isso na nossa vida espiritual. Ora, por que a conversão é no espírito, vamos deixar a carne fraquejar? Vamos deixar áreas vulneráveis? Ou vamos identificar a fraqueza e submetê-la a Deus?

Uma vez identificada a área vulnerável, a submetemos a Deus. Precisamos nos render totalmente ao Senhor. Se sabemos que há uma fraqueza na nossa vida, devemos dizer: “Senhor, esta é minha fraqueza, ajuda-me a combater essa situação. Eu quero mudar”. O Espírito Santo de Deus trabalha, convence, muda. Até a personalidade é modificada na vida de uma pessoa que reconhece uma fraqueza. Por isso que Paulo disse, em Efésios 4:17: “Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos”. Vaidade de pensamentos é uma área de vulnerabilidade.

Depois, diz, em Efésios 4:18: “obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração”. Ignorância é uma área de vulnerabilidade. Dureza de coração é outra área.

Diz, em Efésios 4:19: “os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza.” Vê, quando a pessoa não está submetida, toda sorte de impureza é cometida.

Depois, diz assim, em Efésios 4:20: “Mas não foi assim que aprendestes a Cristo,”. Estamos aprendendo de Cristo.

Diz, em Efésios 4:21: “se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,”. Quando aprendemos e somos instruídos segundo a Verdade de Jesus, não damos brechas para o inimigo semear fortalezas na nossa vida. Lê Efésios 4:22.

Como podemos mudar a nossa vida? Efésios 4:24 diz: “e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus,em justiça e retidão procedentes da verdade.”

Paulo diz, em Efésios 5:8: “Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz”.Um filho da luz não anda em trevas. Precisamos andar como filhos da luz.

Diz Efésios 5:11: “E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as.”

O que Paulo está dizendo? Não podemos aceitar o mundo. Não podemos ser cúmplices das obras infrutíferas, porque é com elas que Satanás se alimenta para criar fortalezas na vida das pessoas. Lê Efésios 5:12.

Diz Efésios 5:13: “Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas porque tudo que se manifesta é luz.” Se há alguma área na nossa vida reprovável, a luz de Deus vai identificá-la. Não adianta tentar esconder. Nós somos filhos da luz. Não podemos ser trevas.

Diz Efésios 5:14: “Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará.” É preciso estar acordados, vigilantes, sóbrios, iluminados por Cristo para não deixarmos uma área vulnerável na nossa vida. Não importa qual seja, se for reprovável, reprova. Agora, se sozinho tu não consegues te livrar, pede ajuda à igreja. Não podemos mais alimentar fraquezas, porque é assim que muitos se corrompem. Lê 1 Timóteo 1:5-6.

Agora, quero falar um pouco sobre uma das fortalezas que, muitas vezes, se instala na mente do cristão: o desencorajamento.

No Domingo passado falei muito de Davi, o homem segundo o coração de Deus que, num certo momento da sua vida, cometeu um ato doloso: adulterou com Bate-Seba e mandou matar o seu marido.

Quando lemos o Salmo 38, vemos o quanto Davi estava no fim da linha, no fim da estrada, arrasado, desencorajado e esgotado. Olha o que diz o Salmo 38:6: “Sinto-me encurvado e sobremodo abatido, ando de luto o dia todo.” Davi estava tão desencorajado, que se sentia abatido, encurvado, como se estivesse de luto. Lê o Salmo 38:8, 10 e 13.

Os Salmos 32, 38 e 51 mostram um homem destroçado, desesperado. Talvez Davi não tivesse entendido, no início, como a falta de vigilância leva a uma derrota. Davi era um homem que sentia “fome” de Deus, reverenciava a Palavra do Senhor. Os Salmos de Davi são uma das obras mais lindas do mundo, pois glorificam o Senhor. Mas naquele momento ele estava no fim da linha, se sentia vazio, falido, por causa de um ato impensado. Vê o que ele diz no Salmo 38:4: “Pois já se elevam acima de minha cabeça as minhas iniqüidades; como fardos pesados, excedem as minhas forças.”

Quando lemos essa passagem, entendemos que Davi não estava apenas descrevendo a sua vida, mas, também, a de algumas pessoas que estejam enfrentando um ataque maligno com uma fortaleza do desencorajamento.

A fortaleza do desencorajamento é uma arma poderosa de Satanás contra os eleitos do Senhor. Satanás lança dardos inflamados, flechadas. Primeiro, para que a pessoa duvide de Deus, depois, para que ela pense que alguma coisa na vida pode afastá-la do Seu amor. Satanás lança mentiras cruéis, cria ciladas, armadilhas, tudo sobre as fraquezas pessoais. Não podemos ser fracos a ponto de ceder. Temos um corpo de humilhação, uma carne de imundice, mas o nosso espírito é forte. E o espírito forte submete a carne. Não podemos aceitar em hipótese nenhuma que por causa de se alimentar uma mentira a pessoa caia em um desastre, conforme Davi. É muito triste ver um crente “jogar a toalha”, como Davi fez.

Diz o Salmo 38:15: “Pois em ti, SENHOR, espero; tu me atenderás, Senhor, Deus meu.”

Davi estava no fim da linha, vazio, sugado, sem energias, abatido, quebrado, mas sabia que Deus resolveria aquela situação.

Se tu passas por algum ataque de desencorajamento, eu vou te dizer algo: Não tentes arranjar uma tática para sair dessa situação. Se tu vives um conflito espiritual, combate-o com armas espirituais. Não é com livro de auto-ajuda, com cursinho rápido de quatro sessões, com aconselhamento do mundo que se enfrenta conflitos espirituais. A Palavra de Deus possui subsídios para o combate espiritual. Agora, se não conhecemos essas verdades, se não temos a revelação da Graça de Deus, o inimigo estabelece uma fortaleza.

Pedro disse, em 1 Pedro 4:12: “Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo;”.

Deus é o muro de fogo a nossa volta, mas tu deves estar dentro desse muro. Olha, Deus nunca te deixará, nunca te desamparará. Ele é o nosso guia, é o confortador, ensina como mudar toda e qualquer situação, ensina a redirecionar a vida. O desejo e a expectativa de Deus são a nossa vitória. Lê Hebreus 10:39.

Agora, quero falar de uma outra figura bíblica. Muito me impressiona sempre que eu falo desse grande e iminente juiz de Israel: Sansão. Sansão significava: Radioso, pequeno sol e destruidor.

Diz a Palavra, em Juízes 13:3-5: “Apareceu o Anjo do SENHOR a esta mulher e lhe disse: Eis que és estéril e nunca tiveste filho; porém conceberás e darás à luz um filho. Agora, pois, guarda-te, não bebas vinho ou bebida forte, nem comas coisa imunda; porque eis que tu conceberás e darás à luz um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu consagrado a Deus desde o ventre de sua mãe; e ele começará a livrar a Israel do poder dos filisteus.”

A mãe de Sansão recebeu instruções de Deus: “Olha, não cortes o cabelo dele, nem dês bebida alcóolica, nem permitas que ele se envolva com os filisteus, com o mundo e cuida da vida desse rapaz, porque ele será o libertador do povo de Deus”.

Agora, quando estava fazendo o recado, me apercebi de um fato muito curioso. Desde cedo, Sansão tinha um ponto fraco no seu caráter: era escravo de paixões.

Em Juízes 14:1-3, o mostra se apaixonando por quem não deveria: “Desceu Sansão a Timna; vendo em Timna uma das filhas dos filisteus, subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; tomai-ma, pois, por esposa. Porém seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos ou entre todo o meu povo, para que vás tomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? Disse Sansão a seu pai: Toma-me esta, porque só desta me agrado.” Ele era um escravo de paixões.

Depois, diz a Palavra do Senhor, em Juízes 16:1: “Sansão foi a Gaza, e viu ali uma prostituta, e coabitou com ela.”

Sansão continuou insistindo nos erros. Sempre fazia o que a fraqueza do seu caráter lhe mandava fazer.

Depois, diz Juízes 16:4: “Depois disto, aconteceu que se afeiçoou a uma mulher do vale de Soreque, a qual se chamava Dalila.” Vê, três passos seguidos, três erros seguidos.

Os seus pais lhe avisaram. Nós, na igreja, também avisamos no culto, no programa de televisão: “Olha, é assim, é por Graça. Não te envolvas. Satanás é ardiloso. Cuidado”.

Diz a Palavra do Senhor, em Juízes 16:5: “Então, os príncipes dos filisteus subiram a ela e lhe disseram: Persuade-o e vê em que consiste a sua grande força e com que poderíamos dominá-lo e amarrá-lo, para assim o subjugarmos; e te daremos cada um mil e cem siclos de prata.”

Qual o objetivo do inimigo? O objetivo do inimigo é subjugar, dominar e amarrar a pessoa.

Os filisteus tinham visão do diabo. Sabiam que Sansão possuía uma fraqueza. Satanás havia colocado uma fortaleza na sua cabeça.

Dalila foi a causadora da ruína desse homem. Ela o importunou até conhecer o seu segredo. No início, ele a enganou três vezes. Mas, houve uma hora em que Dalila foi mais potente. Diz Juízes 16:15-17: “Então, ela lhe disse: Como dizes que me amas, se não está comigo o teu coração? Já três vezes zombaste de mim e ainda não me declaraste em que consiste a tua grande força. Importunando-o ela todos os dias com as suas palavras e molestando-o, apoderou-se da alma dele uma impaciência de matar. Descobriu-lhe todo o coração e lhe disse: Nunca subiu navalha à minha cabeça, porque sou nazireu de Deus, desde o ventre de minha mãe; se vier a ser rapado, ir-se-á de mim a minha força, e me enfraquecerei e serei como qualquer outro homem.”

Depois que Sansão descobriu o seu coração, diz Juízes 16:18-19: “Vendo, pois, Dalila que já ele lhe descobrira todo o coração, mandou chamar os príncipes dos filisteus, dizendo: Subi mais esta vez, porque, agora, me descobriu ele todo o coração. Então, os príncipes dos filisteus subiram a ter com ela e trouxeram com eles o dinheiro. Então, Dalila fez dormir Sansão nos joelhos dela e, tendo chamado um homem, mandou rapar-lhe as sete tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força.”

Quando Satanás domina uma pessoa, acaba a força espiritual, a alegria de ir à igreja, o prazer de ser dizimista, a honra de estar de mãos levantadas para os céus; tudo fica subjugado.

Diz Juízes 16:20: “E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti, Sansão! Tendo ele despertado do seu sono, disse consigo mesmo: Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei; porque ele não sabia ainda que já o SENHOR se tinha retirado dele”. Sansão estava habituado a mentir, habituado a estratégias pessoais.

Diz Juízes 16:21: “Então, os filisteus pegaram nele, e lhe vazaram os olhos, e o fizeram descer a Gaza; amarraram-no com duas cadeias de bronze, e virava um moinho no cárcere.”

Olha o que é a descida de um homem. vazaram-lhe os olhos, ele ficou cego e rompeu a sua aliança com Deus. Quando o diabo cega uma pessoa, ela faz coisas inusitadas.

Diz Juízes 16:22-27: “E o cabelo da sua cabeça, logo após ser rapado, começou a crescer de novo. Então, os príncipes dos filisteus se ajuntaram para oferecer grande sacrifício a seu deus Dagom e para se alegrarem; e diziam: Nosso deus nos entregou nas mãos a Sansão, nosso inimigo. Vendo-o o povo, louvavam ao seu deus, porque diziam: Nosso deus nos entregou nas mãos o nosso inimigo, e o que destruía a nossa terra, e o que multiplicava os nossos mortos. Alegrando-se-lhes o coração, disseram: Mandai vir Sansão, para que nos divirta. Trouxeram Sansão do cárcere, o qual os divertia. Quando o fizeram estar em pé entre as colunas, disse Sansão ao moço que o tinha pela mão: Deixa-me, para que apalpe as colunas em que se sustém a casa, para que me encoste a elas. Ora, a casa estava cheia de homens e mulheres, e também ali estavam todos os príncipes dos filisteus; e sobre o teto havia uns três mil homens e mulheres, que olhavam enquanto Sansão os divertia”.

Um juiz de Israel, um homem que possuía uma fraqueza de caráter e que não teve a coragem de dizer: “Senhor, a minha fraqueza. Muda-me, corrija-me. Não quero mais ser assim”, virou um palhaço, um bobo da corte.

Diz Juízes 16:28: “Sansão clamou ao SENHOR e disse: SENHOR Deus, peço-te que te lembres de mim, e dá-me força só esta vez, ó Deus, para que me vingue dos filisteus, ao menos por um dos meus olhos.” Vê as conseqüências? Uma atrás da outra. Agora, era o ódio, a vingança.

Diz a Palavra do Senhor, em Juízes 16:29-30: “Abraçou-se, pois, Sansão com as duas colunas do meio, em que se sustinha a casa, e fez força sobre elas, com a mão direita em uma e com a esquerda na outra. E disse: Morra eu com os filisteus. E inclinou-se com força, e a casa caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela estava; e foram mais os que matou na sua morte do que os que matara na sua vida.”

Tudo isso começou como? Com uma fraqueza de jovem. E ele fez uma, e fez duas, e mentiu, e escapou de uma, e escapou de outra, e foi, e gastou energias escondendo de um e de outro. Afinal de contas, o que ele precisava fazer era encarar a verdade. Era dizer: “Esta é a minha fraqueza”. Ele deveria ter procurado alguém, um Profeta, para ajudá-lo a destruir aquela fortaleza. Mas o seu desencorajamento era muito grande para isso.

1 Coríntios 6:17 diz: “Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele”

O inimigo não pode entrar na nossa vida, mas pode oprimir e lançar dardos, criar situações quando lhe damos vez, quando alimentamos fraquezas.

Então, a minha palavra é: Vence! Identifica qual é a tua fraqueza, porque a perfeita vontade de Deus é a nossa vitória. Existem outras “Dalilas” aí fora, em forma de dinheiro, de sexo, de mentiras, de bebida, de droga… Tu não nasceste para isso, mas para vencer!

 

ASSIM SEJA, ASSIM DISSE O SENHOR!!!

 

Teu Apóstolo, irmão e amigo, Miguel Ângelo.

Se nossa Mensagem tem abençoado a tua vida, se estas palavras tem feito bem ao teu espírito, ajude-nos a mantê-la, seja um semeador. Com certaza seu dízimo e oferta semeado em nosso ministério de evangelização, será honrado por Deus em tua vida com bençãos sem medidas. CLIQUE AQUI PARA DOAR!

Compartilhar
Nenhum Comentário

Escrever um Comentário