+55 (21) 3017-9090

Rua Maricá, 320 - Rio de Janeiro

Top

Doutrina

Doutrinas da Cristo Vive

O Apóstolo Dr. Miguel Ângelo da Silva Ferreira empenha-se em promover, com a defesa e pregação de suas teses, uma pró-reforma no Protestantismo. Considera que a Reforma Protestante iniciada por Martinho Lutero não se consumou, absorvendo, com o passar dos anos, princípios doutrinários, teológicos e pastorais que estagnaram a igreja institucionalizada e puseram sobre os seus ombros o fardo de ritos, deveres, abluções, proibições, sacrifícios e demais obrigações judaicas e legalistas.

Como propagador da Graça, com fundamento na Bíblia Sagrada – em especial as quatorze epístolas do apóstolo Paulo, propõe a libertação do jugo da lei para um viver orientado pelo conhecimento e pela revelação da Palavra de Deus – confirmada pela manifestação do Espírito Santo na Igreja, que é o sinal visível do Criador entre os homens.

Teses Defendidas

1. A PRÉ-EXISTÊNCIA DO ESPÍRITO DOS ELEITOS E ESCOLHIDOS

Eram seres angelicais, e a seu tempo foram revestidos de carne, para o cumprimento do plano de Deus. Os eleitos conhecem sua origem em Deus. Possuem em si a semente incorruptível de Deus. Não há universalidade de escolha, e, portanto, não há universalidade de salvação. A salvação é somente para os eleitos; quem é salvo, é salvo eternamente. Eleição, escolha, resgate e salvação manifestam-se pela Graça de Deus, e não por obras dos homens.

2. A PREDESTINAÇÃO E OS DESÍGNIOS DE DEUS

Deus predestina para a salvação aqueles a quem Ele elegeu. A soberania de Deus. O falso livre arbítrio. A existência das duas sementes. Os predestinados são chamados na Bíblia de “cem ovelhas”, “tantos como a areia do mar”,”144 mil”, “trigo”, “vasos de honra”, “propriedade exclusiva de Deus”. A certeza da salvação. A garantia da salvação.

3. A REDENÇÃO INICIADA NA ENCARNAÇÃO DE CRISTO, CONFIRMADA NA SUA MORTE E COROADA NA RESSURREIÇÃO

Foi selado um pacto perfeito com o sangue do Cordeiro. A gratuidade da salvação. A libertação do poder do diabo. O cristão é resgatado do império das trevas para o Reino de Deus.

4. O DOGMA DO PECADO ORIGINAL SEGUNDO A TEOLOGIA PAULINA

O pecado e suas consequências: “a incapacidade total do homem”, “não há quem busque, nem quem entenda”, “o homem sem Cristo está morto em pecados e delitos”.

5. A SEGUNDA GRAÇA É A VIDA VITORIOSA DO CRISTÃO, RESULTANTE DO CONHECIMENTO DE SUA POSIÇÃO ESPIRITUAL OUTORGADA POR DEUS

  • Crescimento espiritual.
  • Autoridade espiritual.
  • Firmeza de confissão.
  • Olhos iluminados.
  • Vivência de uma realidade segundo o Cristo ressuscitado – “a ninguém conhecemos segundo a carne”. Consciência de estar sentado em lugares celestiais com Cristo Jesus. Os fundamentos paulinos como base de vida espiritual.

6. A DEIDADE DE CRISTO

Cristo histórico x Cristo ressuscitado. Cristo morreu para o resgate dos Seus eleitos, escolhidos e predestinados.

7. A VERDADE DIVINA ENCERRADA

Na Palavra de Deus. Na revelação que não é privilégio do magistério eclesiástico, como diz a tradição, mas de todo o povo de Deus. Na comunhão e no ministério sacerdotal, profético e real de Jesus Cristo em cada cristão.

8. O BATISMO DO ESPÍRITO SANTO COMO SELO DA CONFISSÃO E PROFISSÃO DE FÉ, INDEPENDENTE DO FALAR EM LÍNGUAS

Um só Senhor, uma só fé, um só batismo. A marca da salvação é dada na confissão de Jesus Cristo como Salvador e Senhor, ou seja, no batismo do Espírito Santo. Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito.

9. O MINISTÉRIO DOS ANJOS

  • Sua existência.
  • Sua hierarquia.
  • Sua ação e seu ministério propriamente dito em favor dos que herdam a salvação.

10. IGREJA

  • Sinal visível da salvação.
  • Corpo místico de Cristo.
  • Sinal de Cristo.
  • Sinal de Unidade, abrindo perspectivas para o homem renascido do Espírito pela mensagem profética e selo do Espírito Santo.
  • Evangelismo fundamentado segundo o novo pacto, cujas promessas são melhores e superiores.
  • Uma Igreja sem manchas e sem rugas – a noiva de Jesus Cristo.

11. AS QUATORZE EPÍSTOLAS DE PAULO COMO FILTRO DA BÍBLIA

  • Pelo conhecimento que tinha Paulo do Antigo Testamento.
  • Pela sua doutrina de coerência.
  • Pela revelação da Graça de Deus que recebeu da boca do Justo.
  • Pela unidade que elas estabelecem entre si.
  • Pela mensagem específica da Graça de Deus aos gentios.

12. O DÍZIMO: PRESENTE NO ANTIGO E NO NOVO TESTAMENTO

Abraão, primeiro dizimista entregando seu dízimo espontaneamente a Melquisedeque, rei de Salém, antes da lei. O dízimo é do Senhor. É uma atitude de reconhecimento e de gratidão para com Deus. É um gesto de desprendimento dos bens materiais diante de Deus. É uma semeadura nos canteiros da obra de Jesus Cristo. É uma forma de rechaçar a pobreza e a miséria, males que ofendem e humilham o homem.

  • O dízimo é honrado por Deus.
  • O dízimo é anterior à lei.
  • O dízimo é uma medida sagrada.

13. A CONFISSÃO DO CRISTÃO COMO EXERCÍCIO DE SEU SACERDÓCIO

  • Aquilo em que ele crê, isso ele fala: confissão de boca.
  • A confissão como fonte de vida e não de morte.

14. OS LIVROS E O LIVRO DA VIDA

  • São salvos os inscritos no livro da vida.
  • Seus nomes jamais serão apagados.
  • Os livros das recompensas e dos galardões; o livro dos viventes.

15. A CEIA DO SENHOR

  • Instituída antes da lei, entre Melquisede e Abraão.
  • Revelada ao Apóstolo Paulo, pelo Cristo Ressuscitado.
  • Único sinal físico do Novo Pacto.

Credo Professado

  • Num Deus Único, Soberano, Criador e Sustentador de toda a criação.
  • Autor e Condutor de toda a História, tanto do Cosmos como da salvação – o Senhor Jesus Cristo, que se manifestou triunicamente: como Pai na criação, como Filho na redenção, como Espírito Santo nestes últimos dias.
  • Num Deus que realizou a redenção salvadora pela Sua morte, na manifestação de Filho, feito homem, bem como na Sua ressurreição.
  • No dom da fé para a salvação por Graça. Num Espírito vivificante, renovador e santificador, que se move e se manifesta na vida da Igreja, selando Seu povo para a redenção.
  • Na Predestinação e Eleição do justo. Nos dons e chamada irrevogáveis.
  • Na prosperidade dos fiéis.
  • Na manifestação do Cristo revelado nos acontecimentos da história individual de Seus eleitos e coletiva de Seu povo.
  • No viver do justo por fé.
  • Na comunhão dos espíritos dos justos chamados para serem santos.
  • Numa só fé, um só batismo, um só Senhor.
  • Na ressurreição dos cristãos e na vida eterna.
  • Na vida terrena vitoriosa.
  • Na segunda vinda, definitiva, de Cristo, para consumar a História, como Ômega, arrebatando os escolhidos, eleitos e predestinados, judeus e gentios congregados num só rebanho em torno de Si, o único Pastor:
    a revelação do Cristo ressuscitado, que é tudo em todos.