+55 (21) 3017-9090

Rua Maricá, 320 - Rio de Janeiro

Top

COMO TER ESPERANÇA DURANTE O SOFRIMENTO

COMO TER ESPERANÇA DURANTE O SOFRIMENTO

Salmo 107:1-2 diz: “Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, e a sua misericórdia dura para sempre. Digam-no os remidos do SENHOR, os que ele resgatou da mão do inimigo”.

Durante essas últimas semanas eu tenho falado à igreja sobre a atitude soberana de Deus de nos redimir e de nos resgatar da mão do inimigo. A nossa vida, antes de termos Jesus como Senhor e Salvador, apesar de termos nascido ovelha, estava na mão do inimigo.

Cada um de nós tem uma história para contar, tem um testemunho de vida pregressa dos danos, das decepções, dos enganos e das falsidades religiosas que chegaram até o nosso coração.

Talvez, muitos, nesse período, tenham sofrido em demasia, mas, graças a Deus que um dia, o Senhor, por sermos ovelha, lançou sobre nós a Palavra da Verdade, e, nesse momento, ao confessarmos Jesus, houve um rompimento com o passado. Saímos da mão do inimigo e passamos para as mãos de Deus. Das trevas, passamos para a Luz. O diabo, então, deixou de ter qualquer controle sobre a nossa vida, pois passamos para o Reino do Filho do Seu Amor. Agora, quem vive em nós para sempre é Aquele que vive e reina eternamente: o Senhor Jesus Cristo. Lembremo-nos de que o rompimento das mãos do inimigo teve um preço, que nós não poderíamos pagar. Diz a Palavra em 1 Pedro 1:18-19 “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo,”.

Mesmo tendo sido resgatados, enquanto vivermos neste corpo de carne, continuaremos tendo desafios, às vezes, desafios severos, difíceis, que, muitas vezes, geram sofrimento.

Eu, como pastor de um rebanho, quero gerar em ti esperanças. Quero ser uma fonte de força e de coragem, especialmente para aqueles que se confrontam com desafios que geram esse sofrimento.

Às vezes, eu me deparo com pessoas na igreja passando por crises financeiras. Outras vezes, são pessoas exaustas, literalmente cansadas. Outras estão desencorajadas e muitas são tentadas a desistir. Outras perdem a direção da vida. Outras se envolvem em confusões que geram desespero. Outras enfrentam lutas contra enfermidades prolongadas, doenças que a medicina disse que seriam solucionadas em um mês, mas que já se arrastam por 2, 3, 4, 6 meses, um ano. Outras sentem uma dor tão grande em seus corações por terem sido abandonadas. Outras foram traídas ou sofreram por causa de decisões erradas que tomaram… Então, qual a resposta da Bíblia para tudo isso? Quando nós nos sentimos abandonados, rejeitados, feridos, quando a dor do luto bate à nossa porta pela perda de um ente querido que nós amávamos… como vivenciar isto? Como alguém chega à igreja com a sua vida totalmente decepcionada, com decepções a nível sentimental e a nível profissional, e consegue superá-las? Quando os sonhos desaparecem, o que temos nós a dizer?

Como é vital, meu amado, como é absolutamente vital conhecermos a Graça de Deus, para confiarmos e sabermos que, no meio das tempestades da vida, Deus está no controle! Como é importante sabermos que a Revelação da Graça de Deus nunca nos deixará desistir. Nunca perderemos a determinação, apesar de todos os pesares, porque o Conhecimento da Revelação da Graça de Deus é essencial para o nosso viver.

Apesar de todas as nossas diferenças raciais, sociais, econômicas, culturais etc., todos conhecemos o significado da dor. Um grande pregador americano disse: ‘As lágrimas são as mesmas, para os negros, para os brancos, para os judeus, para os cristãos, para os mulçumanos, para os velhos, para os ricos, para os pobres, para as crianças.’

Mas, eu quero te mostrar que, apesar das circunstâncias negativas, tu podes levantar os teus olhos para os céus, mesmo que estejas vivendo dificuldades extremas, como eu já vivi e como grande parte do povo de Deus vive. Eu quero que tu levantes a cabeça, porque o salmista disse no Salmo 121:1-2 “Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do SENHOR…”

Então, a primeira atitude que devemos tomar diante do sofrimento, diante das agruras, diante as vicissitudes, diante dos desafios da vida é não baixar a cabeça. Não podemos baixar a cabeça!

Geralmente, a atitude da pessoa que sofre é se entregar, é renunciar à vida. Não podemos permitir que isto aconteça! Eu te falo “de cadeira”. Estou falando de um assunto que está aqui latente “nas minhas veias”, “no meu sangue”, nos meus pensamentos.

Paulo, quando escreveu aos 2 Coríntios 1:3-4, disse: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus.”

Deus te consola no meio da situação adversa para que tu sejas motivo de consolo para os outros.

Paulo continua nos versículos 8-9 “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós, e sim no Deus que ressuscita os mortos;”.

A segunda coisa que eu te queria dizer é: às vezes, nós, no meio do sofrimento, começamos a buscar em nós mesmos os recursos, dizendo: ‘Como eu vou solucionar? Qual o caminho que eu devo seguir?’ Irmão, não confies em ti mesmo. A resposta vem de Deus! Se Ele veio para consolar, se Ele ressuscita os mortos, Ele também tem a solução para ti.

Vamos, agora, ver, como é que o apóstolo Pedro, que teve experiências de sofrimento, encorajou os irmãos que estavam na dispersão, longe de casa e debaixo de perseguições, no meio de um mundo de hostilidade e sofrimento. Como Pedro ensinou a Igreja a reagir no meio de situações difíceis?

Muitos dos irmãos para quem Pedro escreveu, sofriam porque faziam as coisas certas. Olha que coisa interessante: nós sofremos por fazer as coisas certas. Por outro lado, havia outros que sofriam porque eram cristãos, e outros estavam sofrendo porque eram atacados pelos ímpios.

O apóstolo Pedro escreveu uma epístola maravilhosa de encorajamento ao povo da dispersão, àqueles que estavam sendo perseguidos, lembrando-lhes de que o seu testemunho deveria de ser íntegro e que Deus, por fim, os conduziria em glória e em vitória. Pedro queria mostrar que, no meio do sofrimento, o redimido do Senhor sempre vence, sempre deve esperar o melhor. Esta foi a síntese da carta que nós vamos começar a estudar.

Pedro, quando escreveu esta carta, já compreendia a Graça de Deus. Os véus já haviam sido retirados. Ele já não era apenas o pregador do evangelho da circuncisão. Os seus olhos haviam sido iluminados. Ele começa dizendo o seguinte: 1 Pedro 1:1-2″Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são forasteiros da Dispersão no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia, eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas.”

A primeira coisa que Pedro diz, inspirado pelas mensagens de Paulo, é que os irmãos que estavam na dispersão, que estavam sofrendo muitas perseguições, não eram pessoas atiradas para a terra, não estavam ali por um acaso. Elas haviam sido escolhidas por Deus e predestinadas em amor.

Meu amado, isto é a terceira coisa que te quero dizer: é muito importante que saibas que tu não estás na igreja por um mero acaso. Tu não estás lendo este Recado por um acaso. É por presciência de Deus. “Presciência” no original grego é PROGNOSIS, que significa que Deus determinou que seriamos salvos antes de existirmos em corpo físico.

Quando Deus criou o nosso espírito, antes da fundação do mundo, Ele não o criou para a perdição. Ora, sabendo disto, o povo, que estava na dispersão, deveria ter consciência de que eles não estavam passando por aquelas circunstâncias por um acaso; eles estavam dentro do Plano Perfeito de Deus. Nada, nos planos de Deus, pode falhar! Nada!

Pedro, na realidade, estava encorajando os irmãos a perseverarem, a guardarem o seu testemunho e a não desistirem. Cabe a mim, dois mil anos depois, voltar ao altar exatamente com os mesmos propósitos de Pedro: encorajar os irmãos a não desistirem, a perseverarem e a crerem na Soberana Vontade do Senhor, pois, foi Ele, através do Seu Espírito, que atraiu, que fez a obra de regeneração, que criou em nós a capacidade de obedecer.

Pedro estava mostrando ao povo que aquele era um momento passageiro e que alguma coisa, lá na frente, iria surgir como resultado positivo.

Quantas pessoas ficam noites em claro; não dormem um dia, dois dias, um mês, dois meses, exatamente por não terem esta certeza, nem esta convicção de que alguma coisa, lá na frente, trará resposta positiva.

Viver sem esperança, viver sem fé em Cristo é dar cabo da vida, é perder a vida, é perder o sentido da vida. A pessoa pode ter tudo, mas, se não tiver convicção e esperança em Cristo, estará dando cabo da sua vida.

Pedro, nesta carta, deu alguns motivos para as pessoas crerem, esperarem em Deus e terem expectativas positivas de uma vida vitoriosa, mesmo nos tempos difíceis.

Primeiro motivo: vamos ler 1 Pedro 1:3 “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,”.

O primeiro motivo é que nós fomos regenerados para uma viva esperança. Nada do que tu possas estar vivendo hoje: dor, sofrimento etc., é o capítulo final da tua vida. Nada! Nada do que tu possas estar enfrentando hoje é o capítulo final da tua vida. A situação em que vives hoje não é o fim da tua história.

A nossa confiança e a nossa esperança viva não são uma convicção patológica na hora do impossível, não são uma fantasia mental, não são um pensamento positivo criado por um livro de auto-ajuda, não são apenas um distúrbio mental que nos faz acreditar em alguma coisa. O remido do Senhor, o regenerado, tem a promessa da esperança viva.

A nossa esperança em Cristo nos faz dizer: ‘Eu vou vencer! Eu vou sair desta! Eu não vou afundar!’ Isto se chama viva esperança.

Segundo motivo: nós temos uma herança eterna. Diz a Palavra em 1 Pedro 1:4: “para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros”.

A nossa herança é incorruptível e imarcescível. Ou seja, ela não se deteriora, não perde a cor, não perde o brilho, não perde a autenticidade.

O Todo-Poderoso, o Senhor da nossa vida, não permitirá, não deixará que nos destruam, que nos manchem, que nos diminuam, que nos humilhem, que nos derrotem. O que tu vives hoje não é o capítulo final da tua vida, não é!

Deus não se esquece de nós! Ele não nos olha perguntando: ‘Mas, quem és tu? Qual o teu nome? Qual o teu sobrenome?’ Vê o que diz Isaias 49:15-16: “Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim.”

Terceiro motivo: temos total proteção de Deus. Em 1 Pedro 1:5 diz: “que sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo.”

Somos guardados pelo Poder de Deus. Irmão, somos guardados pelo maior e o mais eficiente “sistema de segurança”: o Poder de Deus. Não há uma forma de tu perderes nada nessa terra, mesmo na calamidade, mesmo na decepção, mesmo na dor profunda; nós somos totalmente e divinamente protegidos por Jesus. Tu crês nisto? Eu estou te dando motivações para que tu creias, apesar de todos os sofrimentos que possas estar vivendo. Lembra-te: esse não é o capítulo final da tua vida!

Deus sempre se colocará entre nós e qualquer calamidade, entre nós e qualquer ameaça. A proteção é um trabalho totalmente divino. Confia que Deus te protege, desde o princípio da tua vida – desde o princípio, desde o ventre das nossas mães. Olha o que diz Isaias 46:3-4: “Ouvi-me, ó casa de Jacó e todo o restante da casa de Israel; vós, a quem desde o nascimento carrego e levo nos braços desde o ventre materno. Até à vossa velhice, eu serei o mesmo e, ainda até às cãs, eu vos carregarei; já o tenho feito; levar-vos-ei, pois, carregar-vos-ei e vos salvarei.”

Quarto motivo: por vezes, temos que ter a nossa Fé provada. Diz em 1 Pedro 1:6-7 “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo;”.

Às vezes, provações são necessárias. Eu não explico o porquê, porque eu não sei. O porquê é Deus quem diz. Mas, as provações são necessárias para testar a nossa Fé.

É numa hora de provação que aprendemos a ser humildes. A provação gera humildade nas pessoas, quebra a rigidez. As provações nos ensinam a ter compaixão quando os outros passam por lutas. Elas nos ensinam a não comparar o sofrimento de uns com os dos outros. Também não é bom obrigar uma pessoa a cantar louvores e a dizer versinhos num momento de dor. A pessoa, às vezes, precisa é de um abraço, de uma palavra amiga, e não que façamos comparações. O sofrimento dos outros não pode ser consolo para nós. Precisamos entender que quando sofremos, só Deus sabe a dimensão do nosso sofrimento.

Provações sempre vêem de várias formas, mas elas todas redundam para a Glória de Deus.

Quinto motivo: a salvação selada pelo Espírito Santo. 1 Pedro 1:9 “obtendo o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas.”

Então, meu amado, temos uma esperança viva, uma herança eterna, proteção divina, a fé amadurecida no meio das provações, o Salvador Real e a salvação selada, proposta por Deus, que não pode falhar.

Nas lutas, nas provações e nos sofrimentos, o que temos que pensar? Que isto não é o final do capítulo da nossa história. Isto é passageiro. Deus já providenciou todas as coisas que necessitamos. E, por que eu posso te dizer isto? Porque eu já vivi e já suportei um grande número de sofrimentos para poder afirmar que o final de tudo, para aquele que crê e tem fé em Deus e tem uma viva esperança sempre é a vitória!

Olha, alguns momentos que eu vivi foram muitos trágicos, mas, sempre mantive a esperança, e a vitória chegou. Eu tenho segurança total. Quando Jesus disse: ‘Eu estarei convosco até o fim.’, Ele estava sendo verdadeiro. Tu que porventura estás desesperado, desesperançado, num turbilhão, se a tua vida se parece com uma montanha russa, sabe que essas palavras que eu te ensinei são Espírito e Vida. Elas se transformarão em vida e o Espírito Santo te dará a solução para tudo. O sofrimento que possamos passar nunca é o final da nossa história. O final é a vida vitoriosa! Crê nisto e recebe a vitória, para a glória de Deus! Amém!

Teu apóstolo, irmão e amigo, Miguel Ângelo.

Se nossa Mensagem tem abençoado a tua vida, se estas palavras tem feito bem ao teu espírito, ajude-nos a mantê-la, seja um semeador. Com certaza seu dízimo e oferta semeado em nosso ministério de evangelização, será honrado por Deus em tua vida com bençãos sem medidas. CLIQUE AQUI PARA DOAR!

Compartilhar
2 Comentários
  • Vânia aparecida de Oliveira machado
    11/08/2017em08:17

    Essas palavras m e emocionaram estou muito triste e desanimada hoje nessa madrugada cheguei a me perguntar será que Deus realmente existe. Desde de domingo ando triste minha vida sempre foi como uma montanha russa pesso que ore por mim e pela minha família .

  • Odair s Sousza Braga
    15/01/2019em17:02

    Caro amigo Miguel Angelo..lindas palavras. .
    Deus abençoe você. …mas por favor apóstolos só foram os doze. ..Não ensine errado..isto pode lhe custar caro meu irmão. …abraço. .Odair. .igreja adventista do sétimo dia. .

Escrever um Comentário